Processo seletivo

15 dicas para um processo seletivo eficaz

Por TAQE              04/02/2022

O processo seletivo é o conjunto de técnicas que visam a avaliação de um candidato para determinada vaga de emprego na empresa. Essa ação identifica informações importantes, como: hard e soft skills, além da competência, perfil e adaptação do envolvido com a cultura da empresa.

O que é o processo seletivo?

Independentemente do tamanho da organização, o processo seletivo sempre será necessário, pois é a melhor opção para ter como base avaliativa a escolha da contratação ou não dos postulantes.

Agora que você já sabe tudo sobre processo seletivo, que tal 15 dicas para um processo seletivo eficaz?

Escolher o tipo de recrutamento

01

Existem 3 tipos de recrutamentos, muito importante que durante o planejamento dessa etapa essa questão seja avaliada, pois temos:

– Recrutamento externo: buscará o candidato no mercado de trabalho, de acordo com as necessidades exigidas pela vaga; – Recrutamento interno: buscará entre funcionários já presentes na empresa, abrindo oportunidade de acordo com os conhecimentos; – Recrutamento misto: mescla os dois anteriores, divulgando tanto no mercado, quanto no próprio quadro de funcionários.  Há um quarto tipo, que é às cegas, mas não encaixaria no propósito de um processo seletivo eficaz, já que ele ignora questões importantes como informações pessoais do candidato, que podem ser importantes em relação à cultura da empresa.

Uma boa equipe de recrutamento

02

Qualquer empresa quer os melhores funcionários que o mercado pode oferecer. Quanto melhor o seu material humano, melhor os resultados, isso é o básico. Mas como conseguir os melhores? Simples, tendo os melhores em sua equipe de recrutamento. Possuir qualidade no seu recrutamento, tende a ter melhores resultados nas contratações, devido à melhor capacidade e experiência dos envolvidos.

Criar uma estrutura

03

Planeje uma estrutura para o recrutamento que foque o máximo na eficiência dos detalhes e produção. Dessa forma, evitará tempo perdido com currículos e candidatos que não agregam em nada o processo, tanto por falta de capacidade para vaga, quanto para adaptação ao clima organizacional da empresa.

Atrair os candidatos certos

04

A redação presente no descritivo da vaga precisa ser bem redigida e com entendimento claro, trazendo informações importantes que evitem candidatos que não terão interesse. Um exemplo claro, muito usado, é não informar questões como salário e benefícios. Contendo essa informação, aqueles que já não gostarem dos valores e das vantagens, não enviaram interesse à vaga, já descartando o interesse.

Comunicação com gestores

05

Entender melhor as necessidades de cada área facilitarão o processo de uma forma natural. Saber exatamente o que o departamento financeiro precisa, as especificações necessárias e o conhecimento obrigatório, poupará possíveis contratações erradas, que durem pouco tempo e gere mais gastos e energia, além de tempo.

Entrevista estruturada

06

Crie um roteiro de entrevista que busque perguntas que sejam aplicadas igualmente a todos os candidatos que participarem. Dessa forma, a decisão será imparcial e justa. Já as perguntas buscam o objetivo de fisgar informações do candidato, como: conhecimentos gerais e específicos, adaptação a cultura organizacional da empresa e expectativas, além de gerar situações que avaliem melhor o entrevistado.

Indicadores (Turnover)

07

O RH precisa estar munido de diagnósticos e relatórios que evidenciam problemas e tragam soluções. E no universo do processo seletivo não há como não citar o turnover. Para quem não sabe, o turnover mede a rotatividade de colaboradores na empresa, indicando se ela é ou não um local bom de se trabalhar. Isso engloba, de certa maneira, diversas questões como reputação da marca.

Melhores técnicas de recrutamento

08

Há diversas técnicas que um profissional experiente e com visão poderá aplicar e utilizar durante o processo de seleção, visando, claro, sempre a melhor contratação. Entre elas, podemos citar: mapeamento de valores, testes psicológicos, mapeamento de competências, seleção interna, banco de currículos, arquivos de sindicato e, que merece até um tópico à parte, a gamificação.

Gamificação

09

Gamificação – do o inglês gamification, é o uso de mecânicas e características de jogos para engajar, motivar comportamentos e facilitar o aprendizado de pessoas em situações reais, tornando conteúdos densos em materiais mais acessíveis, normalmente não associado a jogos.

Uso de tecnologia

10

A tecnologia já é fundamental e faz e fará parte de nossas vidas cada vez mais. E para o profissional de Rh isso não será diferente. Hoje, o mercado disponibiliza softwares que já fazem uma avaliação completa de triagem de currículos, trazendo, através de algoritmos, a melhor opção de contratação. Fora isso, as mídias sociais trazem um leque especial e uma gama significativa de divulgação, que proporciona uma ampla cobertura de possíveis candidatos, principalmente em redes específicas do assunto.

SOFTWARE DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO A DISTÂNCIA

Aumentasmos em até 400% a eficiência do seu processo seletivo

Utilizamos inteligência de dados para reduzir o custo e o tempo das contratações além de automatizar e centralizar a gestão dos processos seletivos.

Banco de currículos

11

Além de um melhor processo seletivo, caso seja possível alinhar isso a redução de tempo no processo, será perfeito. Para isso, é importante o setor manter sempre ativo e atualizado um banco de currículos, onde, na necessidade, seja de bate pronto indicado uns candidatos que já tenham passado pelo radar da empresa, nos quesitos avaliativos durante outros processos.

Fortalecimento da marca

12

Você já pensou em trabalhar no Google? Caso a resposta seja sim, muito provavelmente já ouviu falar como é bom trabalhar lá ou apenas por conhecer a empresa e saber que ela é uma gigante, sendo interessante fazer parte do quadro de colaboradores. Essa é a sensação é ideia que é passada no fortalecimento da marca. Possuir uma marca onde as pessoas queiram fazer parte, queiram estar envolvidas e ter orgulho disso.

Avaliação de conhecimento

13

Sabe aquela mentirinha no currículo ou na entrevista mesmo? “eu entendo disso ou daquilo”, mas na realidade não entende? É vital o entrevistador sacar essa possibilidade, e nada melhor que uma avaliação certeira de conhecimento. Vai contratar um design? O coloque para produzir uma arte. Um redator? Faça-o redigir um texto.

Feedback e anúncio

14

É obrigação do profissional de Rh dar um feedback do porquê o candidato não ter passado. Isso faz parte do desenvolvimento geral de quem ali esteve envolvido, vale a pena, gerando uma sensação de auxílio a todos. Por fim, o anúncio da contratação de um colaborador, ou apenas de avanço de fase, é um ponto importante, que deve ser bem elaborado, exaltando o indivíduo e pavimentando sua caminhada pela empresa.

Bônus: diversidade

15

Escolha os candidatos sem nenhum tipo de preconceito, mas sim, pelos seus conhecimentos, capacidades e experiência. Equipes com maior diversidade e empresas que investem no tema, tendem a ter melhores resultados e participar das questões sociais, tão importantes e debatidas nos dias de hoje.

Stories

Mais

10 dicas para fazer seu processo de seleção

Quais as atribuições de um business partner

indicadores de RH: quais são e para que servem