fbpx

Colaboração no ambiente de trabalho e o papel do trabalho híbrido nesse processo

O cenário de pandemia nos fez olhar com mais atenção para os nossos conceitos sobre diversas coisas como a cultura organizacional, a liderança e gestão de pessoas, bem como a comunicação dentro de uma empresa.

E agora, onde já estamos em um cenário de quase pós-pandemia, como devem ficar as interações humanas, a produtividade e os processos organizacionais no modelo de trabalho híbrido? 

Já é possível observar que as Soft Skills estão mais presentes nos fóruns de discussões entre pessoas de RH e gestores de pessoas. As competências interpessoais e como elas são desenvolvidas, sempre foram um grande desafio e agora, mais do que nunca, estarão no trabalho remoto.

Isso porque ao longo dos anos as organizações tradicionais construíram um modelo de negócio tendo como base o comando e controle, ou seja, estruturas hierárquicas e processos formais de comunicação. O problema é que este modelo sempre funcionou principalmente no formato de trabalho presencial, quando a medida da produtividade e a entrega de resultados era vista por quem foi feito e o que foi feito. 

Mas, com o início da pandemia e todos tendo que ir trabalhar de suas casas, foi preciso mudar este conceito. É fato que muitas atividades são possíveis de serem feitas em trabalho remoto e têm se mostrado mais produtivas que o presencial.

Algumas empresas, como a Microsoft, perceberam um aumento no número de reuniões e de e-mails de seus colaboradores, entretanto as entregas e o crescimento dos resultados também aconteceu, mesmo em setores em que o quadro de funcionários precisou ser reduzido por conta da pandemia.

Também foi percebido, entre os colaboradores, que houve a construção de uma conexão entre pessoas de diferentes áreas, bem como o aumento do sentimento de pertencimento de fazer parte de algo maior

E com o trabalho híbrido, como manter esse sentimento de colaboração?

Colaboração no ambiente de trabalho híbrido

Um dos pontos de atenção sobre o trabalho híbrido é que nem todo mundo tem o mesmo contato com a gestão e colegas de trabalho. Saber como os membros da equipe remota e do escritório podem colaborar juntos ajuda o negócio a funcionar com mais tranquilidade.

É papel do líder descobrir novas maneiras de apoiar a produtividade e o trabalho em equipe no modelo híbrido.

Promova a confiança

A confiança do gestor em sua equipe é fundamental para que todos trabalhem com confiança. Com isso, eles podem assumir riscos positivos, pedir e compartilhar feedbacks, abordar conflitos e tomar melhores decisões em conjunto. 

Mas como é possível construir a confiança em uma equipe? De acordo com Liane Davey, Ph.D. e autor de The Good Fight, há quatro pontos: 

  1. Previsibilidade e um senso de conexão com os outros;
  2. Confiança um no outro. Cada pessoa sabe e confia que todas as outras pessoas podem realizar suas tarefas;
  3. Confiabilidade. Sua equipe sabe que os outros vão entregar e pode contar com eles;
  4. Integridade, vulnerabilidade e transparência em seu trabalho.

Saiba lidar com a distância

Os líderes precisam ficar atentos para não favorecerem as pessoas que estão ao seu lado no trabalho presencial. Um dos medos de quem está trabalhando remoto é que os membros da equipe do escritório tenham mais oportunidades do que eles. 

Também é preciso ficar atento quando se coloca mais valor nas pessoas e em coisas com as quais interagem com mais frequência. Um exemplo disso é quando se dá mais importância ao desempenho de um colaborador que não foi bem último mês, em vez de focar no seu desempenho consistente.

A dica é saber identificar esses cenários e evitá-los assim que começarem a aparecer na equipe. 

Tenha autenticidade

Se há uma lição que a pandemia trouxe é de que podemos ser mais autênticos uns com os outros. 

Ao longo destes dois anos, muitos conheceram as casas dos colegas de trabalho, bem como os seus pets, colegas de quarto e sua família – pais, esposa e filhos.

Esse nível de autenticidade se transformou em uma norma e deve continuar a ser esperado mesmo depois que os funcionários retornem ao escritório.

Seja proativo

Construir uma equipe híbrida não será uma tarefa a ser realizada da noite para o dia. Ela demanda tempo e esforço não só para desenvolver a equipe em si, mas para o líder também aprender a como lidar com todos.

A treinadora de equipes de trabalhos remotos e híbridos, e fundadora da Fairlinked, Jana Piske, divide o processo de desenvolvimento da equipe híbrida em cinco fases:

  1. Formação: o início de um projeto com uma nova equipe;
  2. Criação: criar novos processos e estabelecer como será a colaboração;
  3. Normas: colocar em prática as regras básicas que se estabeleceu na fase de criação;
  4. Desempenho: neste ponto, se tem uma equipe de alto desempenho que trabalha com eficiência e eficácia;
  5. Encerramento: fim de um projeto, onde se reflete sobre o do líder trabalho e agradece a equipe pelo trabalho árduo.

Escritório ainda é um ambiente exclusivo de colaboração?

Não mais! E por isso será importante para as empresas definirem a função do escritório e pensar estrategicamente sobre como se está usando o espaço para realizar reuniões.

O futuro do trabalho e a forma como se reage às mudanças, pode ajudar a equipe a colaborar e ser mais produtiva. E essa mudanças não são apenas em relação às interações das pessoas nas equipes, mas sobre a forma de trabalho dela.

Uma boa parte dos recrutadores acreditam que as companhias podem perder funcionários se não fizerem a transição para uma cultura híbrida, totalmente remota, ou para uma cultura remota desde o primeiro contato com um profissional, ou seja, desde o recrutamento. E para isso, já existem ferramentas de recrutamento e seleção totalmente online, como a TAQE, que usa a inteligência de dados para reduzir o tempo das contratações e automatizar a gestão dos processos.  

Além disso, nesse software, é possível fazer teste e entrevistas online com os candidatos e escolher o que tem melhor fit cultural com a empresa. Experimente o TAQE

As empresas precisam, desde já, analisar como vão utilizar o local de trabalho híbrido e usar este momento para criar mudanças, a fim de melhorar a colaboração e desempenho das equipes.

Olhe os dados

Enquanto as equipes colaboram com novas ideias e as perspectivas são colocadas em conversas presenciais, aumenta-se a criatividade de todos, bem como impulsiona os resultados do negócio.

Porém, o local de trabalho híbrido pode ser uma barreira para isso, com funcionários sem as ferramentas de trabalho adequadas. 

E não importa o local de trabalho, todos eles oferecem dados que podem ajudar as companhias a melhorar a colaboração entre os funcionários.

É preciso, e possível, acompanhar essas informações desde as salas de reunião usadas (presenciais ou virtuais),  as taxas de uso de tecnologia e o impacto do desempenho na rede de colaboração.  

Ao analisar esses dados, a empresa pode ter informações valiosas sobre a experiência de seus colaboradores e o sucesso dos investimentos que está fazendo em TI, por exemplo. Com isso é possível determinar se querem manter soluções tecnológicas que já utilizam ou implementar alternativas para apoiar ainda mais o trabalho híbrido.

O trabalho híbrido já é a realidade. É importante que empresa, liderança (gestores) e equipes (colaboradores) estejam alinhados para que, não importa onde estejam, a colaboração continue acontecendo. E somente com todos alinhados é que os negócios vão continuar crescendo, gerando benefícios para todos.