fbpx

Por que a empatia e a inteligência emocional são mais importantes do que nunca para os líderes

Nenhuma lição de história ou manual de negócios anterior poderia ter nos preparado para as mudanças radicais que varreram nosso mundo e nossos locais de trabalho no ano passado.

Conforme os funcionários se inscrevem para trabalhar em suas casas ou se adaptam a um ambiente híbrido de força de trabalho, eles não estão apenas lutando contra os medos e incógnitas da pandemia Covid-19, mas também são puxados em todas as direções em sua casa, comunidade, família e pares. 

Todos são afetados pela injustiça racial no país, a pandemia global e nossa recente eleição presidencial de várias maneiras. Como resultado, as emoções estão altas e as conversas sobre esses tópicos entraram no ambiente de trabalho este ano de uma forma que nunca vimos antes. 

Esses eventos forçaram líderes e organizações a tomar decisões sobre como abordar as discussões sobre política e questões sociais. Embora as empresas estejam divididas na forma como lidam com essas conversas, este ano tumultuado ilustrou como é difícil manter a conversa sobre questões políticas e sociais mais amplas fora do escritório – virtual ou não. 

As empresas têm a chance de infundir empatia em todas as discussões no local de trabalho e apoiar melhor os funcionários, independentemente de como eles se sintam sobre questões específicas. Seja apoiando uma força de trabalho com opiniões diversas ou sabendo quando falar, aqui estão algumas lições que aprendemos.

Dê a cada voz a oportunidade de ser ouvida

De crianças correndo ao fundo das ligações da Zoom a discussões sobre a eleição no Slack, a vida pessoal e profissional dos funcionários continuará a se sobrepor. As empresas não devem se esquivar disso, mas encorajar os funcionários a trazerem todo o seu ser para o trabalho – especialmente com essas questões pesando muito sobre eles – desde que respeitem os colegas e clientes. Como empregadores, é importante incluir todos os pontos de vista, mas há uma maneira de fazer isso que incentiva um ambiente de respeito.

De acordo com um estudo da Associated Press, mais da metade dos funcionários disse que a pandemia aumentou seu estresse, e 68% dos pais que trabalham com escolas ou creches fechadas “descrevem a pandemia como uma das principais causas de estresse”. Reconhecer e compreender esse estresse é fundamental para apoiar os funcionários em tempos difíceis.

Se os funcionários quiserem falar sobre essas questões, é essencial que os empregadores dêem o exemplo e forneçam maneiras seguras e respeitosas de fazê-lo. Por exemplo, encorajamos os funcionários a enviar perguntas anônimas para nossas reuniões gerais. 

As empresas também podem apoiar os funcionários oferecendo recursos gratuitos de saúde mental, como Modern Health, que fornece acesso confidencial a treinadores e terapeutas pessoais para aconselhá-los em situações de estresse, e o Headspace, um aplicativo de meditação. Com esses canais e recursos em funcionamento, os líderes da empresa sinalizam aos funcionários que estão cientes dos problemas que os afetam e prontos para ouvir, se necessário.

Promova a empatia em todo o escritório, liderando pelo exemplo

Comece comunicando de forma proativa as expectativas em torno de discussões pessoais no local de trabalho, tanto virtuais quanto presenciais. Incentive todos a priorizar a compreensão e a gentileza, forneça recursos úteis e deixe claro que linguagem inadequada ou desrespeitosa não é tolerada.

Aqueles que gerenciam funcionários em momentos difíceis devem priorizar a inteligência emocional (IE). Não só permitirá que os líderes estabeleçam relacionamentos mais dinâmicos com aqueles que gerenciam, mas um IE mais elevado também incentiva locais de trabalho mais inclusivos e envolventes. 

Um estudo conduzido por Yale descobriu que funcionários com líderes emocionalmente inteligentes pensavam positivamente sobre seu local de trabalho e, ao descrever seu trabalho, “quase dois terços das palavras que usaram foram positivas”. Por outro lado, 70% dos funcionários com supervisores que demonstram pouca inteligência emocional tinham principalmente sentimentos negativos sobre o trabalho. A EI leva tempo para se desenvolver, e workshops e cursos online são investimentos valiosos para gerentes em todos os níveis.

Defenda seus funcionários

Promover um ambiente de trabalho mais empático exige que os líderes tomem uma posição sobre questões que são importantes para os negócios. 

Coloque em prática um plano de comunicação que discuta o problema em questão e como isso afetará a empresa. Da mesma forma, conduza uma visita de escuta para entender as necessidades e experiências dos funcionários daqueles mais afetados por uma política ou problema específico. Veja o exemplo do Regions Bank: após a morte de George Floyd, os líderes da empresa iniciaram uma excursão virtual de escuta, dando às equipes a chance de compartilhar opiniões diretamente e maneiras práticas de lidar com a injustiça racial. 

Os problemas que dominaram 2020 estão longe de estar resolvidos. Eles continuarão a afetar a forma como trabalhamos e vivemos, e como os dois se combinam. Mas uma coisa permanece certa: podemos construir organizações mais resilientes e inclusivas, incentivando a empatia e a compreensão em todas as interações no local de trabalho.

Tradução