10 passos para criar um programa de estágio de sucesso

Sua empresa tem como objetivo contribuir com o desenvolvimento de jovens talentos e criar um impacto positivo na comunidade na qual está inserida? Uma ótima forma de colocar essa meta em prática é por meio de um programa de estágio.

Normalmente, os estudantes que participam desse tipo de programa estão tendo suas primeiras experiências no mercado de trabalho. Por esse motivo, representam uma ótima oportunidade para o negócio, que pode moldá-los conforme sua cultura organizacional.

Além disso, os estudantes vêm cheios de energia e podem trazer ideias inovadoras e propor melhorias nos processos, produtos, serviços e até para a empresa como um todo. Porém, para que todo o potencial desses estudantes seja aproveitado, é essencial criar um programa bem estruturado.

Por esse motivo, desenvolvemos esse conteúdo para te ajudar a entender os benefícios de um programa de estágio, a legislação referente ao assunto e as etapas para criar um programa de sucesso. Confira!

Por que criar um programa de estágio?

Muitas empresas estão criando programas de estágio. Apesar de esse ser um tipo de contratação mais barato para as empresas, os benefícios desse tipo de ação para a empresa vão muito além da economia.

Os estagiários, geralmente, estão na reta final de seu curso de graduação e, por essa razão, ainda estão em contato com o conhecimento teórico. Além disso, querem colocar em prática o que estão aprendendo em sala de aula.

Normalmente, possuem mais energia e disposição para ter uma boa performance. Os estagiários normalmente são jovens, que possuem uma visão de mundo diferenciada e podem trazer grandes benefícios para os negócios.

Para que as empresas possam se beneficiar de todos esses aspectos, é essencial criar um programa de estágio bem estruturado. Para isso, é preciso fazer o planejamento de todas as etapas do processo, desde a contratação até o desenvolvimento dos estagiários ao longo de sua contratação.

O que diz a legislação de estágio no Brasil?

A Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008 é a responsável por determinar a contratação de estudantes como estagiários. Ela determina critérios para a contração desses estudantes, que envolvem:

  • A jornada de trabalho, que não pode ultrapassar seis horas diárias. Os estágios podem chegar a 40 horas semanais (oito horas diárias) exclusivamente em casos previstos no projeto pedagógico do curso e da instituição de ensino;
  • Férias de 30 dias a partir de um ano de estágio, preferencialmente durante o recesso escolar;
  • Celebração de termo de compromisso entre o estudante, a parte concedente do estágio e a instituição de ensino, e outros termos.

10 passos para criar um programa de estágio de sucesso

  1. Escolha o líder do projeto

O primeiro passo para a implantação de um programa de estágio de sucesso é definir quem serão os responsáveis por cada etapa desse processo. Também é essencial definir um mentor, para que o estagiário saiba para quem pedir orientações.

Essa pessoa precisa conhecer bem os processos da empresa, além de ter um bom conhecimento técnico a respeito da área de atuação do estudante. Também é essencial que ele goste e tenha paciência para ensinar.

  1. Determine as tarefas da posição

É importante criar um perfil profissional para que o estagiário traga benefícios para a instituição e para sua própria formação. Capacidade de liderança, habilidade em vendas, conhecimento em tecnologias, idiomas e outros devem ser listados nesse momento.

Essas competências devem estar alinhadas com os objetivos e metas da empresa. Caso ela queira se tornar mais digital, por exemplo, deve buscar contratar pessoas familiarizadas e com habilidade para lidar com as novas tecnologias.

  1. Defina o perfil da vaga

Também é importante que, junto com o gestor da área, o RH defina o perfil da vaga. Ele inclui as principais competências exigidas e determina pré-requisitos, como:

  • Semestre cursado pelo estudante;
  • Horário dos estudos;
  • Cursos aceitos;
  • Conhecimento necessário;
  • Perfil comportamental.

Fazer esse alinhamento é essencial para que o programa de estágio seja bem sucedido.

A Geração Z no mercado de trabalho

Embora não haja uma definição oficial do período de nascimento de cada geração, a geração Z é a primeira que nasceu em um mundo totalmente digital. Jovens nascidos entre 1995 e 2010 são considerados parte desta geração.

Suas principais características são criatividade, interatividade e dinamismo, o que pode trazer um novo ânimo ao dia a dia da empresa. Eles também buscam trabalhar em empresas que estejam alinhadas aos seus objetivos e valores pessoais.

Esta é uma geração com espírito empreendedor, que tende a ter facilidade de atuar em grupos que possuem diferentes habilidades e se unem para atingir objetivos comuns. 

Saiba mais sobre como diminuir a taxa de turnover da geração Z.

  1. Estruture o processo seletivo

Outro ponto importante a ser definido é o processo seletivo para a contratação do estagiário. Uma forma de otimizar esse processo, é fazer uma boa definição do perfil ideal do candidato e usar softwares de recrutamento e seleção para automatizar o processo. Confira inovações que podem ser aplicadas:

Gamificação

Por meio dessa técnica, os candidatos podem enviar sua candidatura a partir de jogos interativos. Essa experiência inovadora no processo seletivo aumenta o engajamento do candidato e fornece informações relevantes para o processo de triagem da empresa.

Essa tendência desperta a curiosidade e a vontade de participar, especialmente nos jovens, que têm a tecnologia como parte de seu dia a dia.

Testes e Cursos

Softwares de gamificação permitem que as empresas apliquem testes de cultura, personalidade, competências e conhecimento aos candidatos. Dessa maneira, a empresa pode se certificar de que o candidato realmente possui os conhecimentos que indica em seu currículo.

Além disso, em ferramentas como o TAQE, os candidatos fazem aulas na própria plataforma e podem testar os conhecimentos adquiridos ao longo dos cursos. 

  1. Dinâmicas de Grupo

As dinâmicas de grupo são muito importantes para garantir que a pessoa certa seja contratada para atuar na empresa. Por meio delas, é possível identificar como as pessoas atuam em equipe, qual é o seu perfil comportamental, se tem perfil de liderança e outros aspectos.

  1. Entrevistas

Na entrevista, é possível identificar se o candidato tem características decisivas para ser selecionado no processo. O recrutador precisa criar um roteiro de perguntas que auxiliarão na tomada de decisão.

É comum que os candidatos de um programa de estágio não tenham experiências anteriores. Por isso, o foco das perguntas deve ser os conhecimentos técnicos e comportamentais do candidato.

  1. Invista em Diversidade e Inclusão

A diversidade é essencial no ambiente de trabalho. Nas empresas, ela é representada por profissionais de diferentes idades, gêneros, orientações sexuais,etnias, classes sociais, culturas, religiões, deficiências e outras.

Uma organização diversa possibilita o desenvolvimento de novos conhecimentos e tem mais vantagem competitiva. Além disso, uma cultura organizacional diversa tem mais facilidade em apoiar o desenvolvimento dos colaboradores e a inovação.

Um ambiente de trabalho saudável possibilita que pessoas com diferentes perfis troquem experiências facilmente. Assim, o ambiente fica mais motivador e é possível oferecer mais valor nos serviços e produtos da empresa. Conheça algumas iniciativas de diversidade e inclusão:

Open Hiring

O open hiring é uma abordagem de recrutamento que bloqueia algumas informações pessoais de um candidato. Isso lhe dá chances de conseguir um emprego apenas com base em suas qualificações.

Dessa forma, é possível evitar que a decisão de contratação possa ser afetada negativamente pela demografia, orientação sexual, etnia, deficiência ou histórico do candidato.

  1. Foco na experiência do candidato

Um programa de estágio eficiente deve ter como base uma estratégia de educação e seleção. O processo deve ter o objetivo de recrutar pessoas, mas também de ir além, sendo educativo desde o começo.

Isso porque os conhecimentos e conteúdos gerados podem ser uma ferramenta para o desenvolvimento desses jovens talentos. Para isso, é importante conversar com os estagiários atuais para entender suas expectativas e desejos e usar essas informações para criar um programa de estágio ainda melhor.

Feedback do processo

O retorno ao candidato deve ser parte do processo de recrutamento. Um candidato a vaga de estágio normalmente está ansioso por melhorar sua performance e aumentar as chances de conseguir um emprego.

Para um bom feedback, é essencial elogiar os pontos positivos do desempenho, dar exemplos claros e incentivar o candidato a desenvolver seus pontos fortes.  Também é essencial oferecer conselhos práticos, objetivos, realistas e inspiradores.

  1. Crie um plano de integração

A integração de funcionários é essencial para todos os cargos a serem ocupados na companhia. O processo de integração de estagiários deve ser o mesmo utilizado para os demais colaboradores para que eles sejam bem recepcionados e possam se engajar com o negócio.

O estagiário também deve ter contato com a história e a cultura da empresa nesse primeiro momento. Quanto mais alinhado ele estiver com esses aspectos, mais se sentirá engajado e motivado.

  1. Avalie constantemente seus resultados

Fazer o planejamento das etapas da implantação de um programa de estágio é essencial. Porém, monitorar os resultados é tão importante quanto. Dessa forma, é possível corrigir falhas no processo e buscar uma melhoria contínua. Para isso, é importante analisar itens como:

Volume de inscritos

A quantidade de inscritos para uma vaga pode ser um indicador de como a companhia está sendo vista no mercado enquanto marca empregadora. Isso pode ajudar na atração dos melhores talentos.

Essa métrica também ajuda a analisar o quanto a descrição da vaga foi eficiente. Além disso, traz informações sobre os canais pelos quais as vagas em aberto estão sendo divulgadas, como sites de emprego e redes sociais. Os erros mais comuns nesse sentido são:

  • A descrição de vaga pode estar muito complexa ou superficial;
  • O profissional não consegue se identificar com a vaga ou a empresa;
  • O processo de inscrição para a vaga é muito grande ou complexo;
  • O processo de inscrição não oferece uma boa experiência de candidatura.

Aderência dos candidatos

Outro ponto importante de analisar é se há adequação entre a cultura empresarial e os candidatos. Para isso, é essencial aplicar técnicas de fit cultural já no momento da triagem de candidatos.

Se os valores do candidato estiverem alinhados com os da empresa, as chances de esta ser uma boa contratação são ainda maiores. Isso porque as chances de que o candidato seja bem sucedido na função e permaneça nela também ficam mais altas.

Experiência dos candidatos

O processo seletivo deve ter o candidato como foco em todas as etapas de sua candidatura. Assim, é preciso avaliar se o candidato está tendo uma percepção de organização, feedback, comprometimento e do uso de ferramentas tecnológicas e inovadoras.

Retenção de talentos

Outro ponto importante a ser analisado é a retenção de talentos. Isso porque, quando, no momento da seleção, o RH consegue encontrar um candidato com perfil compatível com a cultura organizacional, as chances de que, após a contratação, ele seja motivado, produtivo e se mantenha engajado são muito mais altas.

Taxa de efetivação de candidatos

Além disso, estagiários motivados costumam aprender mais rápido e produzir bastante. Se eles souberem que existe a possibilidade de efetivação, podem trabalhar ainda mais motivados e trazer muito mais vantagens para o negócio.

Descubra como melhorar o desempenho do RH usando indicadores!

Impacto Social

Um dos objetivos de um programa de estágio de sucesso é trazer impacto social positivo ao local onde a empresa atua. O processo de recrutamento e seleção do programa de aprendizes da Natura, em parceria com o TAQE, em 2019, é um exemplo disso.

A empresa possuía quatro grandes desafios:

  1. Volume – O programa de aprendizes é bem robusto, tendo em vista o tamanho da companhia, e havia o desafio de trabalhar 121 vagas de uma forma digital;
  2. Localidade – O processo é distribuído entre São Paulo e Pará;
  3. Responsabilidade Social – Juntamente com o departamento de Sustentabilidade, a empresa tem o desafio de empoderar as comunidades como um todo, e o programa de aprendiz é essencial para oferecer oportunidades para os jovens desses locais;
  4. Atração de jovens em vulnerabilidade social – Relacionado à estratégia de diversidade e sustentabilidade.

 A parceria entre Natura e TAQE possibilitou que a divulgação do processo fosse feita com uma comunicação mais direcionada, leve e com representatividade. A geolocalização, recurso disponibilizado pela ferramenta do TAQE, foi essencial para a atração do perfil buscado pela Natura.

Além disso, a empresa pôde montar uma trilha com testes de português, lógica e redação. O extrato comportamental, gerado pela gamificação, também auxiliou no processo. Porém, a principal inovação foi o Perfil ideal do TAQE.

Como o objetivo era a contratação de jovens com perfil de vulnerabilidade social, foi possível incluir algumas perguntas que ajudaram o RH a entender se essa meta realmente foi alcançada.

Os resultados desse processo foram proporcionais aos desafios:

  • A Natura possuía 121 vagas, e teve mais de 11 mil inscritos, e por meio do TAQE, a empresa teve insumos para atingir os jovens que tinham o maior potencial;
  • Por meio da geolocalização, foi possível contratar 45% das pessoas que residiam nas comunidades no entorno da empresa;
  • A tecnologia do Perfil ideal do TAQE ajudou a companhia a mensurar e entender que 50% dos jovens contratados estavam em situação de vulnerabilidade social;
  • O processo seletivo atingiu 80% de índice de satisfação, alcançando um nível de excelência.

Um dos direcionadores dos processos seletivos da Natura é a experiência do candidato. Isso foi atingido por meio da tecnologia do TAQE, na qual é possível dar um feedback em todas as etapas. 

Um exemplo disso é que o candidato recebe sua redação corrigida. Dessa forma, há todo um cuidado que fortalece os jovens que não foram aprovados no processo para a busca por uma próxima oportunidade.

Saiba mais sobre como o TAQE ajudou a Natura a expandir seu impacto social.

Conclusão

Criar um programa de estágio é uma forma de as empresas ajudarem no desenvolvimento de jovens talentos, ao mesmo tempo que podem ter acesso à inovação e ao conhecimento técnico que os estudantes estão adquirindo em seus cursos.

Para a implantação desse tipo de programa, é preciso se atentar à legislação e criar um ambiente no qual o candidato possa desenvolver suas habilidades. Essa iniciativa começa no processo seletivo, que deve ser educativo desde o começo e fornecer informações para o crescimento do candidato.

Agende uma demonstração grátis e descubra como o TAQE pode te ajudar na implantação de um programa de estágio de sucesso!

Acompanhe o blog e as redes sociais do TAQE para não perder nenhum conteúdo sobre como simplificar o recrutamento e seleção em sua empresa.