Gestão de Pessoas: o que é, objetivos, estratégias e pilares

Grande parte das práticas, estratégias e ideias adotadas nas empresas para melhorar o ambiente, lidar com sua cultura organizacional ou qualquer que seja o ponto a ser mexido na companhia, está ligado ao conceito de gestão de pessoas. A prática, uma das mais difíceis de serem executadas com eficácia pelos empreendedores, têm fundamental importância no progresso do estabelecimento.

Diferentemente do setor de Recursos Humanos, o conceito descritivamente explicado abaixo é a forma adotada pelos empregadores, líderes e gestores de lidar com as necessidades, objetivos e comportamentos de seus colaboradores através de técnicas aplicadas pelo profissional apto ao cargo.

Por isso, em prol do aprimoramento do clima organizacional e consequentemente, da produção, as empresas tendem a dedicar esforços para melhorias dedicadas ao setor, no qual falamos mais neste guia completo sobre gestão de pessoas.

O que você irá aprender:

  1. O que é gestão de pessoas?
  2. Qual a função da gestão de pessoas?
  3. Qual o principal objetivo da gestão de pessoas?
  4. Como Evoluiu?
  5. O que é gestão de pessoas nas empresas?
  6. Gestão de pessoas como fator competitivo
  7. Exemplos de como você pode executar a gestão de pessoas na sua empresa
  8. Como a gestão de pessoas pode contribuir com os resultados do negócio?
  9. A liderança e a gestão de pessoas
  10. Qual a diferença entre Recursos Humanos e Gestão de pessoas?
  11. Qual a diferença entre departamento pessoal e gestão de pessoas?
  12. Qual o papel do gerente de RH na gestão de pessoas?
  13. Qual o papel da gestão de pessoas para diversidade dentro das empresas?
  14. Gestão de pessoas com deficiência
  15. Quais os principais pilares da gestão de pessoas?
  16. Quais os desafios da gestão de pessoas?
  17. Gestão de pessoas no Home office

O que é gestão de pessoas?

Gestão de pessoas é um conceito usado para denominar técnicas, mecanismos e práticas para “administrar o capital humano”, ou seja, são realizadas ações que buscam alinhar o comportamento, objetivos e metas dos colaboradores de acordo com o propósito da empresa, no qual ambos podem sair vantajosos.

O termo abrange um grande número de estratégias e estudos direcionados à melhoria do ambiente de trabalho, como psicologia organizacional, employer branding, fit cultural e outros ideais adequados para a melhoria de vida dos trabalhadores nas dependências de seu trabalho. 

Com apoio de outros setores, principalmente do Recursos Humanos que muitos ainda confundem ambos, a prática busca mostrar a devida importância de cada funcionário presente na empresa e os resultados alcançados propriamente por eles.

Qual a função da gestão de pessoas?

O cuidado e o comprometimento ideal com os colaboradores de uma empresa vão além de salários pagos em dia e confraternizações de final de ano. A valorização do trabalho exercido, a exaltação pela produtividade realizada e a ajuda realizada através da capacitação são alguns dos pontos que a gestão de pessoas atua. 

Ela se dá por meio do envolvimento e desenvolvimento dos funcionários junto à organização no qual atuam, sendo responsável por administrar técnicas que possibilitam melhora no ambiente de trabalho, a satisfação e o bem estar dos colaboradores durante sua jornada de trabalho.

Basicamente, a função da gestão de pessoas é de exibir a importância, os resultados e a importância que cada contratado possui perante a empresa, assim motivando-os para novos desafios, metas e objetivos.

Qual o principal objetivo da gestão de pessoas?

Podemos falar que a gestão de pessoas busca “humanizar” as empresas de forma com que a organização tenha um contato e uma relação mais envolvida e próxima com seus colaboradores, isto é, fazendo com que fiquem mais motivados, engajados e pertinentes. Ao ter essa proximidade com os trabalhadores, é possível transformar a empresa um lugar mais apto e daí, tornando-os capazes de promover mais resultados com um nível maior de satisfação de ambos. 

Com tal ação realizada com sucesso, um dos objetivos mais desejados pelas empresas tende a tornar-se realidade. Capacitados e motivados, aumentam as chances de novos talentos serem obtidos durante a realização da gestão de pessoas, sendo alcançados somente através do devido contato entre a companhia e seus colaboradores.

Como evoluiu?

Hoje, a forma com que uma empresa promove a melhoria do ambiente e o crescimento profissional de seu funcionário é conhecida como a gestão de pessoas. Porém, o conceito surgiu de uma outra técnica, nascida no final do século XIX e ganhando sua importância após ser receber seu destaque através do trabalho de Henri Fayol (1856-1915) e Frederick W. Taylor (1856-1915). 

Conhecido como administração científica, o movimento se deu após o engenheiro mecânico americano Frederick W. Taylor, notar que os trabalhadores da época podiam produzir mais do que estavam produzindo. Assim, consequente do movimento, foi fundada a escola das relações humanas, tornando capaz de comprovar a existência de influências durante a execução e produção de um material, no qual estavam presentes nas dependências da empresa. 

Em meio à Segunda Guerra Mundial e junto à criação da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) no ano de 1943, os responsáveis pela administração de pessoas nas organizações tiveram que se adaptar às novas condições de trabalho, atentando-se às condições proporcionadas aos empregados e os benefícios obrigatórios gerados a eles.

Com o passar dos anos e a necessidade de maior atenção aos colaboradores, as empresas se viram coagidos à implementação de setores unicamente dispostos para a organização do pessoal e com isso, teve o início da Administração de Recursos Humanos durante a década de 60.

O surgimento de novas tecnologias, empregos e consequentemente, mudanças na forma de organizá-los trouxe mudanças ao ambiente corporativo, fazendo com que os setores se remodelaram, separando as tarefas operacionais e a gestão de pessoas dos mesmos profissionais, tornando a forma de lidar com os colaboradores mais humanizada do que foi anteriormente.

O que é gestão de pessoas nas empresas?

Em uma empresa, é ideal que existam profissionais capacitados, geralmente definidos como líderes dos setores, responsáveis por um determinado setor. A gestão de pessoas deve ser feita diretamente na forma com que esse colaborador motive os demais funcionários de um jeito com que se tornem satisfeitos com suas funções através de processos específicos de comunicação. 

A modo com que a informação é passada entre os colaboradores, sem ser rude ou agressiva, é capaz de afetar positivamente ou negativamente a motivação e o empenho do setor. Para isso, deve ser clara e concisa para todas as pessoas que necessitam recebê-la, afetando outro aspecto da gestão de pessoas nas empresas que é o trabalho em equipe

Todos os funcionários devem estar em sincronia com os objetivos da empresa, tornando os cargos considerados menores até a alta hierarquia com o mesmo nível de importância e ligados entre si. Com o conhecimento de todos, basta torná-los competentes em relação às suas tarefas através de práticas de gestão de pessoas estratégias usadas para localizar os pontos fortes e as principais habilidades de cada profissional e por isso, também deve estar presente no processo seletivo de candidatos.

Por que a gestão de pessoas é tão importante para as empresas?

Quando mal administrados, os trabalhadores tendem a sofrer com diversos aspectos que podem comprometer sua satisfação e consequentemente, sua produção diária. Como principais peças de uma organização, a insatisfação apresentada e a performance ruim gerada pelos colaboradores podem trazer inúmeros malefícios para a companhia e principalmente, ao clima organizacional do ambiente de trabalho. 

Além de produzirem em menores escalas, provocam números incômodos de rotatividades, conhecidos como turnovers e com isso, afetam o ambiente corporativo com negatividade e desagrado. Por isso, nas últimas décadas, tem se tornado cada vez mais importante o trabalho de apoio e clareza com estes funcionários, ouvindo-os e valorizando-os e assim, definindo maneiras na quais ambos os lados podem sair ganhando.

Com o trabalho executado de forma exata, a gestão de pessoas é capaz de identificar as falhas no clima organizacional e realizar melhorias para torna-lo agradável para todos os colaboradores.

Gestão de pessoas como fator competitivo

Destacada como um dos benefícios de implementar a gestão de pessoas em uma empresa e assim, sendo um dos pilares do método de administração dos funcionários, a famosa competição saudável quando presente nas empresas, tende a trazer mais benefícios para todos os envolvidos.

Geralmente, os funcionários de uma companhia tendem a produzir mais que seus colegas perante atividades estimulantes e bonificações consideráveis. Por isso, uma das técnicas utilizadas na gestão de pessoas propõe a criação de metas, objetivos e desafios para que, após atingidos pelos colaboradores, possam receber algum tipo de gratificação e um destaque maior que os outros.

Essa estratégia tem sido vista como um investimento para as empresas e não o contrário. Quando comparadas metas remuneradas aos colaboradores com a rotatividade relacionada às demissões, conhecidas como turnovers, iniciação de um processo seletivo, contratação de um novo funcionário. Ao serem comparados, uma devida recompensa entregue aos colaboradores motivados em prestar seus serviços, torna-se uma escolha fácil de ser aderida.

Porém, essa competitividade criada deve ser feita com o devido cuidado e leveza, a fim de evitar uma visão errada por parte dos membros da equipe. Para isso, são usadas técnicas de cooperação entre os funcionários, tornando um clima mais cooperativo e agradável para todos os envolvidos durante a jornada de trabalho.

Exemplos de como você pode executar a gestão de pessoas na sua empresa

Para iniciar o trabalho de implementação da gestão de pessoas em uma empresa, é de suma importância que em todos os exemplos, realize o devido planejamento para executar suas ações. Para isso, a presença de líderes, gestores, profissionais do RH e os proprietários da companhia estejam ativamente ligados às questões trazidas para este tipo de tarefa, no qual será necessário a realização de importantes mudanças na cultura organizacional da empresa.

Recomenda-se que, caso a empresa não possua ou tenha a estrutura e o orçamento adequados, dê início à construção de um setor unicamente dedicado a gestão de pessoas e outras questões relacionadas à função dos profissionais desta área. 

Por outro lado, é possível realizar este trabalho com a cooperação de profissionais de Recursos Humanos e destes colaboradores mais envolvidos com a empresa e os funcionários, normalmente com cargos de liderança e gestão nos setores que atuam.

Logo após a parte de planejamento, os profissionais responsáveis pela implementação de gestão de pessoas devem dar início à sua aplicação nos corredores da empresa, ou seja, analisando e criando formas para melhorar o bem estar, o ambiente de trabalho e aumentar a produtividade dos funcionários do quadro.

Com o trabalho em conjunto dos setores, o profissional de RH ou do setor reservado para esta função deve ser o responsável pela implementação das mudanças e atividades a serem aplicadas para a melhoria desejada, como a implementação de promoções, avaliações de desempenho, metas, etc.

Por vivermos em uma sociedade ampla e com uma diversidade alta de culturas, sabe-se que a implantação do processo de gestão de pessoas deve ser realizada com suas características únicas, em um tempo próprio de aplicação e as melhorias pontuais de cada espaço de trabalho, diferentes umas das outras por conta de suas culturas organizacionais.

Conheça o melhor software de recrutamento e seleção do Brasil:

Como a gestão de pessoas pode contribuir com os resultados do negócio?

Uma gestão de pessoas feita com qualidade e eficiência é capaz de evitar a perda e aumentar o capital financeiro das empresas através do trabalho realizado sobre o “capital humano” das companhias. Com o aperfeiçoamento do clima da empresa e outros fatores organizacionais, os funcionários tendem a se sentirem mais satisfeitos durante suas jornadas de trabalho, assim tornando-se mais motivados a permanecer na empresa e executarem suas tarefas diárias.

Assim, um funcionário contente com seu emprego evita pedido de demissões e a negatividade do ambiente, evitando altos números de rotatividade – conhecido como turnover -, absenteísmo e a entrada de novos funcionários recorrentes, comprometendo o capital da empresa por conta da iniciação de processos seletivos, contratações e outros custos relacionados a este tipo de situação.

Com o trabalho executado com este tipo de visão, as chances da empresa identificar novos talentos e profissionais com altas chances de desenvolvimento são maiores quando apresentam suas capacidades em um ambiente adequado para isto. Junto a eles, outros funcionários tendem a disputar um espaço de atenção e assim, mostrar sua importância para a empresa em troca de benefícios correspondentes às suas ambições.

Com isso, a empresa tende a performar, produzir e lucrar com índices maiores após pequenas investidas e um trabalho adequado de gestão de seu capital humano, que junto a empresa, se sentirão motivados em busca de seus interesses mútuos.

A liderança e a gestão de pessoas

A liderança junto a outros fatores únicos, também é um dos pilares da gestão de pessoas por conta de sua importância em saber lidar com um grande número de pessoas e seu papel de ser um espelho para os demais funcionários.

Porém, junto com a gestão de pessoas em si, esta questão ainda provoca dores de cabeça para os empreendedores brasileiros ao iniciarem sua implementação, principalmente quando há o intuito de formar profissionais que possam apresentar aspectos suficientes para se tornarem líderes.

Os profissionais de RH, geralmente, são os responsáveis diretos que possuem o papel de identificar e desenvolver possíveis prospectos de liderança em uma empresa, assim fazendo com que sejam capacitados para se tornarem referência aos demais funcionários da equipe.

Normalmente, nas empresas, é possível encontrar os profissionais que “vestem a camisa” e estão mais envolvidos e motivados com seus cargos, onde possuem habilidades técnicas para serem gestores de determinados setores. Por isso, a função do RH é direcionada no trabalho de melhoria de soft skills, como a habilidade de falar com grandes grupos de funcionários de uma forma coesa e clara, além de ser um funcionário que pode fazer a conexão entre a empresa e os colaboradores. Assim, o RH realiza um trabalho dedicado a torná-los capacitados para a auxiliar a empresa no processo de gestão de seu pessoal.

Abaixo, no vídeo feito pela Caput Consultoria, é possível notar 6 erros cometidos por líderes mal treinados durante a gestão de pessoas nas empresas.

 

Qual a diferença entre Recursos Humanos e Gestão de pessoas?

Fáceis de serem confundidas por serem correlacionadas, o setor de Recursos Humanos e a Gestão de pessoas possuem uma diferença que faz com que ambos tomem caminhos diferentes, mas que devem atuar juntos em prol de uma relação harmoniosa entre empresa e funcionário.

O papel principal do profissional de Recursos Humanos é de manter o contato e auxiliar a conciliar os interesses entre os colaboradores e a empresa. Já a técnica de gestão de pessoas deve ser utilizada com o intuito de agir na administração, manutenção e desenvolvimento dos funcionários. Isto é, durante a jornada de trabalho, o método descontruído ao decorrer deste conteúdo busca trabalhar em prol de identificar as mudanças necessárias para a melhor performance dos funcionários. Em decorrência disso, o RH recebe as informações colhidas pelo gestor e assim, pode desenvolver estratégias que promovem benefícios para a empresa e seu empregado.

Existem situações em que as diferenças entre os dois termos se mostram mais claras, como por exemplo, quando há a necessidade de contratação de novos profissionais para um determinado setor, o responsável pela gestão de pessoas será capaz de identificar quais são as necessidades do setor e consequentemente, as habilidades e características que os candidatos devem possuir. Assim, após a análise concluída, o profissional de Recursos Humanos deve buscar meios de desenvolver um processo de recrutamento adequado para a vaga. 

Em casos em que os funcionários se tornem insatisfeitos e/ou incomodados com a organização, o gestor tem o papel de identificar quais são as falhas no ambiente de trabalho devido à sua permanência e seu contato mais próximo com os demais funcionários, e repassar as informações para o RH, no qual deve promover práticas que buscam resoluções para os incômodos detectados.

Qual a diferença entre departamento pessoal e gestão de pessoas?

A confusão gerada ao tentar entender as diferenças entre departamento pessoal, recursos humanos e gestão de pessoas ainda é comum e por isso, queremos distingui-las e relacioná-las descritivamente para você.

Basicamente, o departamento pessoal é um setor voltado à parte burocrática da empresa, sendo o profissional que atua no setor responsável pela execução de realizar pagamentos, contratos, definir a quantia fornecida nos benefícios (vale transporte, refeição, alimentação, metas), férias e outros assuntos que demandam a atenção voltado ao capital pertencente à companhia.

Mesmo sendo confundido e ofuscado pelo setor de RH, o DP tem suma importância nas empresas e tem ajudado a equilibrar os gastos e lucros desde a década de 30, sendo mais antigo que seu semelhante. No entanto, um não funciona sem o outro e por isso são confundidos, até por frequentarem a mesma sala na maioria das vezes.

Por estar conectado com a renda destinada a pagamentos como 13º, aposentadoria e FGSS, ou seja, voltados ao trabalhador, o setor torna-se um dos principais fatores da gestão de pessoas, sendo o responsável por definir a quantidade de subsídios que visa ser apropriado para a obtenção da produtividade e recompensa dos colaboradores.

Qual o papel do gerente de RH na gestão de pessoas?

Assim como o gerente de diferentes setores, o gerente de RH deve executar as tarefas exigidas de um líder, isto é, realizar o devido acompanhamento às etapas, estratégias montadas e atividades formuladas para aprimoramento da gestão de pessoas.

Deve estar presente em todas as etapas reservadas ao Recursos Humanos, definindo quais serão as melhores ações a serem tomadas para um devido trabalho de gestão dos colaboradores do quadro, desde a entrada de novos contratados e sua integração com a equipe até o momento de demissões, caso sejam necessárias.

Geralmente, para que não fique sobrecarregado, o gerente de RH conta com analistas, coordenadores, assistentes e auxílio de outros setores, como o Departamento Pessoal, para realizar o trabalho apropriado à gestão de pessoas.

Agende uma demonstração do melhor software de recrutamento e seleção do Brasil e automatize seu processo de selção e gestão de candidatos.

 

Qual o papel da gestão de pessoas para diversidade dentro das empresas?

Os setores relacionados a gestão de pessoas são os primeiros a agir e implementar a ideia de diversidade e sua aplicação nas empresas. Claro, a inclusão de diferentes culturas deve ser efetuada quando apropriada à cultura organizacional da empresa que possibilita tal ação ser executada.

A gestão de pessoas deve ser guiada por estes profissionais para que os demais colaboradores possam se adequar durante a jornada de trabalho, a presença e o compartilhamento de tarefas junto à diferentes culturas, crenças, raças e orientações sexuais.

Para dar início a este processo de inclusão, a gestão de pessoas inicia-se logo durante os processos seletivos de escolha dos novos funcionários, sendo adaptados para que sejam adequados à gestão de pessoas executada na empresa e que seja um procedimento apropriado para diferentes pessoas, testando suas habilidades e soft skills, sem influência de suas características culturais.

Após aplicar a diversidade dentro da empresa, os profissionais de RH e DP devem trabalhar em conjunto para realizar a manutenção das pessoas presentes durante suas jornadas de trabalho, realizando um trabalho de inclusão com todos os funcionários.

Gestão de pessoas com deficiência

Uma gestão de pessoas bem sucedida e implementada em uma empresa que possui PCD (pessoa com deficiência), deve identificar, antes da entrada deste público nos locais de trabalho, falhas na estrutura física do estabelecimento que deve estar pronto para a presença destas pessoas.

Além de realizar adaptações nos ambientes em prol de um lugar apropriado aos PCD’s, o profissional responsável pela execução desta tarefa deve trabalhar o clima organizacional da empresa, ou seja, além de executar ajustes físicos na empresa, deve aconselhar, guiar e auxiliar os outros colaboradores em como proporcionar um clima mais agradável à pessoa especial, tornando-a uma parte importante da equipe.

Quais os principais pilares da gestão de pessoas?

Para a realização de uma gestão de pessoas ideal, são executadas ações fundamentadas em cinco pilares considerados essenciais para todo o trabalho de administração do capital humano e consequentemente, da melhora do bem estar dos funcionários.

Abaixo, você descobre as principais formas de lidar com a gestão de pessoas de sua empresa com sucesso:

Motivação:

Um funcionário motivado com desafios e recompensas tem tudo para produzir mais. Porém, quando falamos do clima organizacional de uma empresa inteira, a implementação de metas não será suficiente. Para motivar equipes completas, o ideal é estimular com diferentes ideias, abrangendo uma diversidade de funcionários e seus interesses através da inserção de novos projetos de desenvolvimento dentro da empresa, desafios coletivos e individuais, além da implementação de planos de carreira e valorização de funcionários.

Comunicação:

Sem uma comunicação clara e concisa com todos os envolvidos, o processo não terá sucesso. Por isso, um trabalho capaz de desenvolver uma comunicação abrangente e transparente, ou seja, ultrapassando barreiras hierárquicas e destacando a importância de todos os funcionários igualitariamente e assim possam se sentir, de fato, parte fundamental da empresa.

Trabalho em Equipe:

Funcionários motivados capazes de se comunicarem adequadamente uns com os outros devem possuir um ambiente e as devidas ferramentas para a execução de um trabalho em equipe efetivo. Quando juntos estão engajados pelas metas da empresa, os colaboradores promovem afinidade e companheirismo durante suas tarefas, assim diminuindo a ocorrência de atritos e tornando as atividades diárias mais satisfatórias e produtivas em um ambiente adaptado para isto.

Conhecimento e Competência:

Como dito anteriormente, a atuação da gestão de pessoas é iniciada desde a adaptação de processos seletivos até o desenvolvimento completo dos funcionários. Por conta disso, o conceito baseia-se na ideia de que todos podem ser ensinados e capacitados para a prática das atividades necessitadas nas organizações. Assim, a gestão de pessoas irá identificar quais são as habilidades e as funções mais apropriadas para determinados profissionais, buscando desenvolvê-los e motivá-los durante sua permanência no ambiente de trabalho.

Treinamento e Desenvolvimento:

Usada como um complemento à anterior, a ideia de treinamento e desenvolvido é direcionada ao aprimoramento dos funcionários e o preenchimento de falhas no meio da produção. Isto é, ao mesmo tempo em que corrige possíveis interferências e irregularidades que possam afetar a produção e o clima agradável entre os funcionários, a gestão de pessoas voltada ao treinamento e desenvolvimento busca aprimorar seus funcionários com oportunidades de aprendizado em áreas que possuem relação mais próxima, assim podendo aplicar o conhecimento em seu trabalho e torná-lo mais eficiente.

Quais os desafios da gestão de pessoas?

Lidar com pessoas é um trabalho árduo e não possui uma solução única para todos os casos e por isso, a manutenção da gestão de pessoas em uma empresa ainda é uma das maiores dificuldades de um empreendedor em relação ao seu negócio.

Por isso, são contratados profissionais especializados e capazes de tornar a empresa em um ambiente agradável, fazendo com que as relações interpessoais tenham mais afinidade com trabalhos e dinâmicas em grupo e assim, trabalhando na comunicação interna da empresa.

Como são reunidos diferentes tipos de personalidades, culturas e formas de pensar em um só lugar, é possível que a gestão de pessoas sofra com desafios de integração e convivência, gerando rotatividade de funcionários – chamada de turnover -, faltas recorrentes e atritos entre os colaboradores da equipe.

Gestão de pessoas no Home office

Com o avanço da tecnologia e adaptação do trabalho em home office, alguns dos colaboradores podem sofrer com a falta de um trabalho voltado à gestão de pessoas. Porém, em meio a distância criada entre os funcionários, ainda é possível a realização de um trabalho de administração adequado perante os colaboradores, funcionando à base de resultados, ou seja, a empresa evita de manter o colaborador controlado em sua própria casa, priorizando apenas o resultado gerado em decorrência das atuais condições de trabalho. Por falar nisso, a gestão de pessoas também está presente na inclusão e auxílio da empresa com o fornecimento da tecnologia necessária para a realização do trabalho de casa.

Por conta da falta de contato e proximidade, o ato de promover reuniões remotas pode facilitar no processo de união da equipe e de outros pilares da gestão de pessoas, como a comunicação e o trabalho em equipe, fazendo com que permaneçam juntos mesmo estando separados.