fbpx

Sua abordagem de pesquisa de colaboradores está travada em 2019?

Você já deve ter ouvido alguém falar a frase “isso é tão 2019” em tom de brincadeira com base nas mudanças drásticas que a Covid-19 causou em nossas vidas diárias. Desde o começo da pandemia, as pessoas não usam mais cardápio de papel, não imprimem um cartão de embarque ou pagam as coisas em dinheiro

Todos nós tivemos que nos ajustar e muitos já estão se acostumando a ter a temperatura medida quando vai entrar em algum lugar.

Nas empresas não é diferente. O local de trabalho remoto/híbrido, as iniciativas dramáticas de gerenciamento de mudanças e a navegação nas mudanças recentes para a construção de um local de trabalho bem-sucedido são as principais preocupações dos líderes de RH. Por quê? Não é nenhum segredo que o sucesso de uma empresa é um produto do comportamento diário dos funcionários.

Construir uma experiência de funcionário onde eles possam prosperar tem sido indiscutivelmente mais importante do que nunca – e mais desafiador do que nunca ao mesmo tempo. 

Pesquisas de engajamento de funcionários

Um pilar para entender a experiência do funcionário tem sido a pesquisa de engajamento do funcionário. 

Esqueça ficar parado em 2019 – as empresas que estão aproveitando a pesquisa anual de engajamento como a principal forma de medir e melhorar o engajamento dos funcionários estão presas na década de 1920. 

Há mais de 100 anos, as empresas industriais usavam uma abordagem semelhante com pesquisas de atitude dos funcionários.

Eles ainda estão sendo usados, no entanto, apesar das críticas de serem muito infrequentes para entender o sentimento dos funcionários em nosso local de trabalho em mudança, muito lentos para obter resultados ou agir (se a ação acontecer) e bastante complicados para os funcionários.

Mas se a pesquisa de engajamento não funciona mais, o que fazer? Confira algumas dicas! 

Quatro tendências de escuta de funcionários para 2022

Organizações com visão de futuro mudaram sua estratégia de pesquisa de maneira significativa para apoiar maior engajamento, ter menor atrito e inspirar uma força de trabalho para o desenvolvimento de uma cultura mais magnética.

1. Medição de suplementos de feedback de diagnóstico

Uma grande tendência de pesquisa nos últimos anos tem sido a pesquisa de pulso. Frequência gera responsabilidade. Um líder não vai agir se não houver uma medição relativa para os 364 dias do ano. 

No entanto, aplicar a mesma pesquisa várias vezes com o mesmo propósito de medir o envolvimento dos funcionários é uma estratégia perdedora.

Expanda a mentalidade para além do envolvimento do funcionário em todo o ciclo de vida dele (ou seja, integração/saída, diversidade e inclusão, saúde e bem-estar etc.) e complementa a medição com feedback de diagnóstico contínuo que resulta em ação impactante.

Independentemente da cadência (já vi até semanalmente), há flexibilidade no que é pedido com base no que é relevante para a empresa. Pontos de dados rápidos e relevantes para o RH informar decisões futuras ou entender como os funcionários reagem às mudanças são essenciais no kit de ferramentas de engajamento dos funcionários.

É uma mudança de perguntas redundantes para um envolvimento adequado com os funcionários para obter feedback relevante sobre o que acontece exclusivamente com a organização.

2. Feedback amplificado por meio de conversas confidenciais

Do ponto de vista do RH, um dos piores sentimentos é ler um comentário negativo em uma pesquisa, especialmente quando é vago e não pode ser acionado. Do ponto de vista dos funcionários, a maioria sente que ninguém está ouvindo e que seus comentários não serão lidos.

As empresas progressistas e tão começando a reconhecer os comentários e a respondê-los confidencialmente. No momento em que um funcionário recebe um reconhecimento ou uma resposta, há uma propensão maior para eles oferecerem feedback sobre pesquisas futuras. Discussões confidenciais levam o processo um passo adiante.

3. Ação e responsabilidade assumem um significado totalmente novo

Uma das tendências mais impactantes no desenvolvimento de uma estratégia significativa de escuta dos funcionários é que o RH se torna menos um filtro e mais um facilitador. 

Organizações prósperas oferecem insights em tempo real relacionados ao sentimento dos funcionários para outros líderes dentro da organização.

A intenção por trás da escuta dos funcionários é a ação. O valor dessa tendência vai além dos líderes que apoiam a ação imediata e lidam com a fumaça antes do fogo; inspirar líderes a agir é o caminho. 

A tecnologia hoje pode apoiar os líderes com aprendizado e responsabilidade recomendados por meio de planos de ação que podem ser gerenciados.

4. Dados além das pesquisas

Há um valor crítico em aproveitar os dados para tomar melhores decisões nas organizações. As empresas estão complementando as pesquisas com um “conjunto de dados” de funcionários que inclui extrair o sentimento dos funcionários dos canais de comunicação (Slack ou Teams) e coletar outros conjuntos de dados não estruturados de outros sistemas de trabalho. 

Há uma cautela nessa abordagem, no entanto, dada a solicitação explícita de feedback nas pesquisas versus a coleta de fontes de dados não solicitadas.

Não importa qual seja sua abordagem, seus dados de pesquisa de funcionários nunca devem ficar isolados. A correlação de conjuntos de dados oferece insights valiosos que ajudam a tomar melhores decisões sobre as pessoas. Por exemplo:

  • Ser capaz de ver a influência do engajamento na satisfação ou lucratividade do cliente em diferentes locais;
  • Obter insights por meio de seus dados de representação demográfica correlacionados ao sentimento em torno das pontuações de inclusão e engajamento que retratam com mais precisão a experiência de grupos sub-representados;
  • Determinar a influência de líderes que realizam reuniões individuais no engajamento versus líderes que não fazem check-in com os funcionários.

No final das contas, várias dessas tendências têm pré-requisitos. Eles exigem a adesão da liderança e o compromisso de trabalhar com os insights focados na ação. 

As pesquisas não resolverão todos os seus problemas, mas oferecem feedback autêntico para apoiar a criação de uma melhor experiência do funcionário. 

E se você trabalha em uma equipe de RH, não preciso convencê-lo de todos os benefícios de ter uma força de trabalho mais engajada.

Então, pergunte a si mesmo se sua empresa mudou a maneira como ouve seus funcionários. Será muito mais desafiador reter, inspirar e engajar seu talento, especialmente nestes tempos incertos.

Tradução