fbpx

Saúde do colaborador: como gerir talentos no pós-pandemia

Entre os vários transtornos que a pandemia da covid-19 trouxe, o estresse e a ansiedade estão entre eles. De acordo com uma pesquisa feita pela Mind Miners, 82% das pessoas estavam preocupadas com a própria contaminação, enquanto 47% delas declararam sentir estresse mental.

Já uma outra pesquisa realizada pela Ginger apontou que 69% dos funcionários disseram que o coronavírus é o momento mais estressante de suas carreiras. Preocupações financeiras e com a saúde, e a ansiedade pela falta do convívio social foram alguns dos problemas que foram relatados. 

E essa incerteza em relação ao futuro neste momento tão conturbado precisa ser trabalhado pelas empresas para que ela cuide da integridade física e mental de seus colaboradores. 

Abaixo confira algumas atitudes que podem ser tomadas em relação à saúde psicológica do trabalhador e como gerir os talentos neste pós-pandemia.

Conte com a tecnologia

A tecnologia está a favor da empresa! Utilize ela para oferecer programas e sistemas que promovam a saúde psicológica. Atualmente, existem profissionais da saúde mental que permanecem de plantão, como psicanalistas e psicólogos.

Outro exemplo de como a tecnologia pode ser usada para promover o bem-estar dos colaboradores são as plataformas de educação virtual, de gerenciamento de estresse e de meditação.

Comunique-se

Ter uma comunicação transparente com os colaboradores é essencial não apenas para que o trabalho prestado seja de qualidade de produtivo, mas para evitar mal entendidos. 

A área de recursos humanos precisa estar constantemente em contato com gestores para desenvolver e colocar em prática um plano que prioriza a saúde dos colaboradores, tanto a física quanto a psicológica.

Para essa ação, é possível disponibilizar profissionais da saúde com que eles possam falar, bem como ter políticas de meditação, entre outras.

Seja empático

Tanto a área de RH quanto os líderes precisam questionar os empregados como se sentem em relação a tudo o que está acontecendo, seja com as mudanças no trabalho ou com a sua família, bem como está sendo a adaptação a estes novos tempos.

É importante que os líderes demonstrem que a saúde dos funcionários importa para empresa, bem como deixar claro no dia a dia de que estão todos no mesmo barco. Reforce sempre a importância de fazer atividades mentais e físicas, bem como o respeito aos intervalos e outras questões que não afetam apenas o trabalho, mas o dia a dia social e familiar do colaborador.

Medidas preventivas

Assim como as vidas pessoais precisam ser adaptadas, também é necessário que os ambientes físicos de trabalho se adaptem, especialmente nas empresas que estão adotando o modelo híbrido. 

É importante ter em mente que mesmo após a vacina, a covid-19 não será erradicada e é preciso continuar cumprindo medidas para evitar a contaminação da doença. Entre estas medidas estão: 

Simplicidade

Com volta aos escritórios é preciso lembrar que não se pode ter acúmulo nas mesas. Elas devem ter apenas o necessário: computadores, garrafas de água, álcool em gel, e o material básico, como cadernos e canetas para anotações.

A recomendação é que objetos pessoais como porta-retratos e enfeites fiquem guardados em gavetas para garantir maior segurança e não sejam um ponto de contaminação. Além disso, com os escritórios sem mesas fixas, estes objetos podem atrapalhar um dia a dia.  

Rotinas de limpeza

Além de reforçar a limpeza do ambiente, as empresas também precisam disponibilizar kits com máscara e álcool em gel em todas as mesas para os colaboradores.

Apesar de a máscara não ser mais obrigatória em lugares fechados, em muitos Estados, seria ideal que ela fosse usada por pessoas que apresentem algum sintoma respiratório, como resfriado e gripe. 

No que as empresas precisam investir?

Já comentamos que o bem-estar do colaborador deve ser uma das prioridades das empresas. Uma pesquisa recente da McKinsey mostrou que o mercado global de bem-estar já movimenta US$ 1,5 trilhão. Se a empresa não escutar e entender o que está acontecendo ela corre o risco de perder o colaborador.

O desafio, especialmente da gestão e da área de recursos humanos, é alinhar as expectativas de pessoas com as demandas tão diversas entre si. Muitas pessoas vão estar atuando em modelos de trabalhos diferentes e é preciso criar iniciativas com os objetivos estratégicos da organização.

E é por isso que o papel das lideranças é fundamental nesse processo. Líderes que não se mostrarem sensíveis ao bem-estar de seus colaboradores não terão mais lugar no mundo corporativo.

Em algumas áreas, os funcionários já estão se negando a trabalhar em ambientes que não os valorizam. A saúde e o bem-estar deixaram de ser um custo, como eram vistos anteriormente, e hoje eles são um ativo para as empresas. 

Com este novo pensamento, como é possível manter os talentos nas empresas?  Confira algumas dicas abaixo!

Benefícios flexíveis

Oferecer benefícios flexíveis aos colaboradores pode trazer um valor bastante estratégico para as empresas. Esse tipo de benefício deve estar de acordo com as necessidades das pessoas – não adianta nada oferecer auxílio-creche se 90% do quadro de funcionários não tem filhos. 

Muitas vezes é a oferta de benefícios flexíveis que faz a diferença na escolha do local onde se deseja trabalhar. É preciso lembrar também que a pandemia transformou os modelos de trabalho, o que obriga as empresas a criarem demandas mais flexíveis para atender as necessidades dos colaboradores. 

Necessidades dos colaboradores

As empresas precisam ter um censo demográfico de seus colaboradores para saber quais são as suas necessidades. Com isso, é possível personalizar a jornada de saúde, por exemplo, e cuidar das pessoas integralmente – tanto físico, emocional, social, espiritual e ambiental. Só assim será possível atender as demandas individuais de cada profissional da empresa. 

Este mapeamento também ajuda a acompanhar a evolução dos colaboradores, indicando se uma iniciativa da empresa está caminhando no sentido certo e se tem adesão das equipes. 

Foco no engajamento

O processo de transformação cultural envolve o esforço de comunicação para garantir o alinhamento de todos e trazer bons resultados. 

Ao fazer um programa de cuidados com a saúde também é preciso comunicar as estratégias que fazem parte do projeto para as pessoas envolvidas. Não basta apenas criar, é preciso explicar a importância e por que os colaboradores podem aderir. 

Ao fazer essa comunicação o engajamento com a iniciativa aumenta e a empresa alcança os resultados esperados.

E para ter um maior engajamento entre os colaboradores, é preciso que a empresa encontre ferramentas que permitam essa troca de experiências e de conhecimentos. Essa ferramenta precisa estar adequada ao contexto e a cultura da organização, para que o compartilhamento de conteúdos exclusivos por estes da rede tenha interação entre todos. 

Desenvolvimento de lideranças

De nada adianta a empresa investir em benefícios flexíveis, mapeamento de seus colaboradores, e focar no engajamento, se ela não desenvolver a sua liderança. É preciso construir uma cultura do cuidado e garantir o bem-estar dos colaboradores. E isto demanda o desenvolvimento dos gestores e de habilidades como gestão de pessoas e empatia.

Cuidado da liderança com os colaboradores precisa se estender ao âmbito pessoal também, em iniciativas que visam o bem-estar das pessoas em sua integralidade. 

Como o RH pode cuidar do bem-estar dos colaboradores?

Por conta da pandemia, a flexibilização das leis trabalhistas ficaram frequentes e, muitas vezes, as decisões estão nas mãos dos empregadores. Com isso, a responsabilidade do RH é e será ainda maior, seja para novas contratações ou para cuidar dos profissionais que já fazem parte da equipe.

Para atrair novos talentos é preciso investir para se tornar uma boa marca empregadora. Além disso, é possível encontrar novos talentos com mais rapidez ao optar por softwares de recrutamento e seleção que utilizem a inteligência artificial, com o TAQE

Com ele, é possível aumentar em até 400% a eficiência do processo seletivo e 8 a cada 10 candidatos podem ser contratados. A plataforma ainda apresenta um banco de talentos com mais de 730 mil profissionais triados aguardando o match com as vagas. Experimente o TAQE

E para manter os colaboradores no pós-pandemia é preciso seguir os pontos que comentamos acima, bem como investir no employee experience!