fbpx

Retorno ao escritório: modelo de trabalho híbrido e gestão humanizada

Com o avanço da vacinação contra a Covid-19 e a liberação do uso de máscaras em locais abertos e fechados, muitas empresas já estão planejando a volta para os escritórios. Porém, não em um modelo 100% presencial. Ao que tudo indica o trabalho híbrido é o que vai prevalecer.

Mas é preciso lembrar que o modelo ideal de escritório atual não é mais o de antes da pandemia, onde cada colaborador tinha sua mesa e o seu computador em um lugar determinado. As empresas precisam pensar em ambientes que permitam a troca de experiência, onde todos os funcionários possam colaborar uns com os outros.

A pandemia trouxe muita flexibilidade ao trabalho e fazer o funcionário acordar mais cedo, vestir-se com roupas sociais, abrir mão da hora de almoço e se deslocar por horas para trabalhar em uma baia individual já não faz mais sentido. 

A empresa que realmente optar pelo modelo híbrido, deve se atentar que o ambiente de trabalho precisa contribuir com a saúde mental dos funcionários e com o bem-estar deles. Além disso, é preciso que as equipes tenham mais autonomia e integração. 

A troca de experiências é uma das principais razões para o escritório existir especialmente para as pessoas contratadas durante a pandemia – muitos só se conhecem virtualmente.  

Antes de voltar, converse com sua equipe

Antes de impor o modelo de trabalho híbrido converse com os colaboradores. Muitos acabaram largando os grandes centros e indo para o interior, e outros até mudaram de estado.

E é preciso ter cuidado. De acordo com o jornal The New York Times, enquanto alguns gestores querem voltar ao modelo presencial, como se nada tivesse mudado nesses dois anos, os colaboradores, especialmente os mais jovens, já estão super adaptados a nova maneira de trabalhar. 

Por este motivo é importante ouvir os funcionários antes de fazer qualquer anúncio. Voltar ao escritório pode ser essencial, mas precisa ser conversado e contar com a participação de todos, afinal de contas, o impacto da decisão terá interferência direta na vida também de seus familiares.

Mas é importante ter em mente que, remoto ou presencial, a gestão humanizada é indispensável para o sucesso no trabalho. Os colaboradores precisam ter a certeza de que a liderança é empática e acessível. E é de conhecimento que uma empresa com cultura organizacional forte aumenta a produtividade e reduz o turnover

Use a tecnologia a seu favor

A tecnologia transformou o modo como trabalhamos e a pandemia mostrou como algumas ferramentas são essenciais para qualquer empresa. Soluções em nuvem, analytics e inteligência artificial foram fundamentais para a digitalização das companhias.  

Uma pesquisa divulgada pelo IDC em maio de 2021 mostrou que os investimentos em nuvem no Brasil chegaram a mais de 3 bilhões de dólares neste ano, representando um crescimento de 46,5% em relação a 2020. 

E falando sobre inteligência artificial, muitas empresas estão optando por ela nos seus processos seletivos. Com isso, elas conseguem reduzir o trabalho operacional e são menores as chances de erros na triagem dos candidatos

Além disso, os recrutadores podem selecionar somente os currículos que apresentam os candidatos com maior potencial e afinidade com a vaga. No TAQE, por exemplo, é possível automatizar e centralizar toda a gestão dos processos seletivos e diminuir em 80% o tempo gasto em triagem. Experimente o TAQE

Em relação ao colaborador, é preciso certificar-se de que a empresa oferece os equipamentos adequados para cada um deles desempenhar a sua função de forma remota.  

Para uma empresa ter sucesso é preciso colocar o funcionário no centro de tudo, ou seja, ter boas práticas e soluções voltadas ao employee experience. Isso significa que a gestão humanizada é o presente das empresas e não mais o futuro!

Como fazer o gerenciamento de uma equipe híbrida

Além da preocupação com a parte técnica do trabalho à distância, a empresa também deve se preocupar com a cibersegurança e com a gestão das pessoas, pois, em determinado intervalo de tempo, uma parte da equipe estará sendo gerida remotamente enquanto outra presencialmente.

São situações diferentes, mas que não podem ter resultados distintos. Confira alguns pontos que precisam ser considerados quando o assunto é o modelo de trabalho híbrido:

Liderança pelo exemplo

Ao implementar o trabalho híbrido, a empresa também tem a expectativa de que os funcionários correspondam a altura, ou seja, deseja que eles se adaptem e que ajudem a tornar realidade a lista de benefícios que o modelo pode ter. 

Por isso é importante que a empresa crie condições ideais para o trabalho Home Office e a integração entre o online e offline. O primeiro passo a ser pensado é capacitar os líderes para se adaptarem a essa nova realidade: gestão remota combinada com a presencial. Eles precisam ser capazes de influenciar pelo exemplo.

Os líderes precisam se adaptar a esse novo contexto e também a como fazer uso de novas ferramentas para a nova rotina.

Produtividade de perto

A produtividade foi um dos pontos mais discutidos no início da pandemia. Este tópico sempre surge nas conversas sobre a adoção do Home Office ou do modelo de trabalho híbrido. 

Alguns colaboradores acreditam que as lideranças não conseguem acompanhar a rotina de trabalho e saber se o desempenho de cada um deles está ou não satisfatório.

Aqui é preciso compreender que o trabalho híbrido não impede o acompanhamento da produtividade, mas é preciso que ele seja feito de maneira diferente. Uma solução é fazer reuniões de alinhamento com mais frequência entre os gestores e funcionários. Elas devem ser breves e diretas, as chamadas dailys – durando no máximo 20 minutos. 

É algo que facilita o acompanhamento da produtividade e favorece a rápida tomada de decisões caso obstáculos sejam identificados. Com isso, a gestão de desempenho será otimizada permitindo melhor performance dos trabalhadores, estejam eles na empresa ou em qualquer outro lugar.  

Comunicação interna

Também é preciso lembrar que o modelo de trabalho não deve envolver a adoção de estratégias pensadas somente em que está trabalhando remotamente. É preciso buscar formas de adaptar a comunicação interna na volta ao trabalho.

É preciso garantir que a empresa tenha estratégias de comunicação adequadas e eficientes para ambas as realidades.

Cultura organizacional

Uma das maiores preocupações do modelo de trabalho híbrido está na manutenção da cultura organizacional.

Cada empresa deve determinar a frequência com qual colaboradores devem ir ao escritório, tendo sempre como base a sua própria realidade. Mas, muitas pessoas ainda acreditam que a ida à empresa favorece a cultura, porém ações online também podem contribuir para isso. 

Para que a jornada híbrida dê certo, a companhia precisa fazer algumas adequações em sua cultura organizacional. Além de melhorar a comunicação e de contar com um RH digital, a empresa precisa manter a ideia de capacitar as lideranças, pois só assim será possível manter essa cultura viva.

E, por ainda estarmos em um período de incertezas, considerar a experiência do funcionário tanto no ambiente presencial, quanto no virtual é fundamental. 

Vale lembrar que a cultura de uma empresa é o conjunto de valores e regras que definem a realidade dela, bem como a maneira que seus processos são conduzidos. Dessa forma é preciso analisar as adaptações necessárias e as estratégias para manter todos alinhados. 

Seja no modelo híbrido, remoto ou presencial, olhar para o colaborador e ver quais são as suas necessidades, sempre deve ser a prioridade número um das empresas e das áreas de recursos humanos.