fbpx

Como saber se você está contratando a pessoa certa?

Boas correspondências culturais levam a uma retenção maior. Desenvolva sua equipe de dentro para fora

O processo de contratação de hoje está totalmente errado. Todas as empresas estão em busca de “contratações experientes”, mas os pesquisadores descobriram que isso não significa necessariamente resultados satisfatórios.

O problema, de acordo com o colaborador da Harvard Business Review, Peter Cappelli, é que “os empregadores gastam tanto em algo tão importante, embora sabendo tão pouco sobre se funciona”.

Uma das razões pelas quais a contratação se tornou tão difícil, ele argumenta, é que a retenção se tornou difícil. Essa afirmação ganhou ainda mais relevância em 2021, com a grande quantidade de trabalhadores que pedem demissão diariamente.

Em sua história para a BBC, Kate Morgan enfatiza como os empregadores têm desempenhado um papel importante no motivo pelo qual os colaboradores estão indo embora. “Acima de tudo, os trabalhadores estão tomando decisões de sair com base em como seus empregadores os trataram – ou não os trataram – durante a pandemia”, escreve Morgan. “No final das contas, os trabalhadores permaneceram em empresas que ofereceram suporte e se afastaram daquelas que não ofereciam.”

Kate complementa que isso é importante porque acredita que está diretamente relacionado à maneira como abordam a contratação. “Um dos maiores problemas que vejo os líderes fazerem em sua busca pela expansão de suas equipes é focar exclusivamente em preencher vagas, em vez de manter – e promover – talentos de dentro de sua organização”.

Uma empresa que não mantém um olho na retenção e outro na contratação estará sempre correndo atrás do prejuízo – tentando preencher as posições que as pessoas continuam saindo.

Considere estas duas etapas para práticas saudáveis ​​de contratação

A contratação envolve uma abordagem dupla. A primeira tem a ver com sempre tentar manter ótimos funcionários na empresa. A empresa Jotform, por exemplo, tem uma baixa rotatividade de pessoal, com uma taxa de rotatividade anual de apenas 5%. Isso é fundamental, pois ter um ambiente calmo, acolhedor e não ameaçador é extremamente importante para a produtividade e longevidade – para novos e antigos contratados.

Isso é possível com constante feedback das equipes – sentando-se com alguns funcionários de alto escalão e pedindo suas opiniões sinceras. Também é interessante reservar um tempo para criar uma pesquisa anônima para entender melhor suas necessidades.

A segunda parte desta equação envolve uma prática minha de longa data:

Contrate devagar + cresça devagar

É realmente tão simples quanto isso.

Focar no crescimento consciente e deliberado ao invés da regra “contratar rápido e despedir mais rápido” que muitos especialistas em startups aderem – é o que pode ajudar a construir um negócio de sucesso. Aqui estão algumas outras maneiras importantes de abordar a contratação saudável:

Desenvolva sua equipe de dentro

De acordo com Cappelli, a maioria das empresas fica chocada ao saber que poucas de suas vagas são preenchidas internamente. “É realmente verdade que seu pessoal não consegue lidar com funções diferentes e maiores?” ele postula. “A explicação de bom senso para isso é que poucas empresas realmente sabem quais são os talentos e as capacidades que possuem”.

Em vez de gastar recursos significativos na contratação de talentos de fora, incentivar os membros da equipe a se candidatarem a novos cargos pode dar ao seu negócio uma vantagem competitiva. Por um lado, eles já têm um forte senso da cultura da sua organização.

E dois: você gastou um tempo considerável desenvolvendo confiança; você sabe como eles funcionam e o que eles podem trazer para a mesa.

Reserve um tempo para renovar seu processo de entrevista

Ainda de acordo com Peter, uma das lições que aprendeu com o crescimento do seu negócio para milhões de usuários é que mesmo uma má contratação pode atrapalhar substancialmente. Na verdade, o Departamento do Trabalho descobriu que essas contratações podem custar a uma empresa 30% de seus ganhos anuais. Mais uma razão para aprimorar seu processo de entrevista.

Um dos conselhos favoritos dele vem da autora e professora de administração da Universidade de Georgetown, Christine Porath, que observa que devemos estar atentos a sinais de civilidade ao entrevistar candidatos em potencial.

Perguntar como eles administraram uma situação específica no passado, por exemplo, fornece uma visão mais valiosa do que simplesmente fazer perguntas hipotéticas. “Habilidade e talento não podem compensar o impacto caro que funcionários tóxicos têm em sua organização; é melhor detectar esse comportamento antes que a pessoa se junte à sua equipe”, observa Porath.

Para ter uma ideia melhor de sua civilidade, ela recomenda fazer as seguintes perguntas durante a entrevista:

  • O que seus ex-supervisores diriam sobre você – tanto positivo quanto negativo?
  • Quais são alguns sinais de que você está sob muito estresse?
  • Com que tipo de pessoa você acha mais difícil trabalhar? Como você lidou com isto?

Contrate de acordo com seus valores

Uma ótima maneira de estabelecer a base para o crescimento é se concentrar na contratação com base no alinhamento de valores em vez de simplesmente preencher vagas. Como Alan Lewis explica em sua história para a Harvard Business Review, as habilidades não contam necessariamente a história toda.

“Toda organização precisa de funcionários que se harmonizem com seus valores essenciais – os princípios que definem quem você é como organização e que moldam as decisões de negócios do dia a dia”, observa Lewis. “Os funcionários que não aderem a uma cultura corporativa compartilhada a diluem, prejudicando a essência que dá identidade à sua empresa e a ajuda a atingir objetivos agressivos.”

Ele mesmo passou os últimos 15 anos promovendo uma cultura que prioriza camaradagem, equilíbrio entre trabalho / vida pessoal e transparência. Manter essa integridade e equilíbrio, para ele, é o centro das atenções sobre qualquer habilidade impressionante que um candidato possa ter.

Em última análise, a contratação de bons parceiros culturais, de acordo com Lewis, é a melhor maneira de garantir o sucesso contínuo de sua empresa – levando a uma maior retenção, melhor envolvimento dos funcionários e conexões ainda mais profundas com os clientes.

Tradução