fbpx

Como preservar e fortalecer a cultura da empresa com times híbridos

Para que uma empresa tenha prosperidade é preciso que a sua cultura seja disseminada por todos os colaboradores, do estagiário ao CEO. E com a pandemia, o desafio é pensar em como manter a cultura trabalhando remotamente e com algumas pessoas já voltando ao presencial.

Um estudo feito pela Microsoft mostrou que manter a produtividade não tem sido um dos principais problemas do trabalho remoto, uma vez que a pressão na cultura da equipe apresenta-se como um fator que impede a inovação.

Conexões pessoais são importantes para a saúde mental de qualquer indivíduo, mesmo para os mais tímidos e introspectivos. E, conforme as empresas vão voltando ao normal, será importante escolher como, onde e quando trabalhar, para manter e fortalecer a cultura da empresa. 

Já é praticamente uma certeza que o trabalho 100% presencial não será mais o tradicional. O remoto chegou para ficar e o híbrido está ganhando muito espaço – e está cada vez mais comum ver essa forma de atuação nas descrições de vagas. 

E com esses dois cenários de trabalho, como manter a cultura da empresa?

Novo modelo de trabalho

No início da pandemia, muitos começaram a ter um novo estilo de vida. Algumas pessoas deixaram os grandes centros urbanos e foram morar mais próximos de suas famílias. Outros decidiram ter uma vida mais nômade, estando cada dia em um local diferente. 

Mas, com o avanço da vacinação e as restrições diminuindo, muitos escritórios já estão voltando ao presencial, mas é preciso atenção. Grandes empresas, como a Amazon e a Apple, retornaram a uma cultura centrada no escritório, mas não deu certo. Foi preciso reverter a decisão e optaram pelo modelo híbrido. Antes de fazer qualquer ação, é preciso conversar com os colaboradores. 

Nova realidade

Lá em março de 2020, muitos gestores não viram a necessidade de mudar as políticas de trabalho. Mas com o passar do tempo, as coisas precisaram de ajustes.

Uma pesquisa da Steelcase apontou que 87% dos líderes pretendem oferecer mais flexibilidade aos seus colaboradores se comparado ao período pré-pandemia. Além disso, entre os entrevistados, 23% esperam que o escritório seja o principal local de trabalho, e 72% acreditam que vão adotar o modelo híbrido de trabalho. 

E este novo cenário já é uma realidade. Um estudo da OwlLabs apresentou que 16% das empresas mundiais já são totalmente remotas e 77% dos trabalhadores disseram que são mais produtivos trabalhando remotamente. 

Como fica a cultura da empresa com times híbridos?

Este é o momento para alinhar as estratégias da cultura empresarial para os modelos online e offline, ou seja, a cultura deve ser nutrida nos ambientes onde os funcionários estão: no escritório, em casa ou em uma combinação dos dois. 

Para isso, o colaborador precisa de:

  • comunicação da alta gestão sobre os valores e objetivos da empresa
  • interações entre os funcionários
  • processos e expectativas implementadas e alinhadas com a gestão
  • feedbacks sobre o que está ou não funcionando
  • canais para suporte, se necessário
  • oportunidades de socialização fora do trabalho

As companhias que vão adotar o trabalho híbrido precisa encontrar maneiras de implementar as ações acima para todos os funcionários. Mas, apesar de ser um desafio, não é impossível.

5 dicas de como manter a cultura da empresa

Confira abaixo algumas ações que podem ser implementadas pelas companhias:

  1. Conversas sobre cultura

É fato que com o trabalho híbrido a cultura da empresa deverá mudar. Portanto, um dos primeiros passos é não se esquivar do problema e isso pode exigir bastante dos líderes. 

Tenha uma equipe de cultura que tenha integrantes de todas as hierarquias da empresa. Proponha conversas sobre como a cultura foi e será impactada pelas mudanças de modelo de trabalho e discuta com essas pessoas o que pode ser feito para a transição ser mais suave. 

  1. Olhe as experiências dos seus colaboradores

É importante lembrar que a cultura de qualquer empresa é impulsionada pela experiência dos funcionários, e ela é formada com base na combinação de fatores como:

  • interações com os colegas
  • desenvolvimento pessoal
  • comunicação

Como o modelo híbrido de trabalho tem diversas vivências, é preciso criar uma abordagem sistemática para os funcionários e criar boas experiências. 

Esse processo requer a criação de várias iniciativas que devem impactar todas as fases do ciclo de um funcionário dentro da empresa, ou seja, desde o momento em que ele entra até a sua saída. 

A dica é sempre revisar esses estágios, solicitar feedbacks e fazer com que essas experiências sejam as mais positivas e unificadas possíveis. 

  1. Cuide da marca empregadora

Parte importante da cultura da empresa, a marca do empregador também precisa se adaptar à cultura híbrida do local de trabalho. Isso ajuda a modernizar a mensagem e a encontrar novos jeitos de contar algo para os colaboradores. 

  1. Responsabilidades e resultados

Ao dar mais liberdade aos funcionários sobre onde e quando trabalhar, a responsabilidade pelos resultados fica cada vez mais importante. 

Ir ao escritório da empresa não é mais um indicador de que o colaborador está fazendo bem o seu trabalho. Com isso, o foco muda para que tipo de resultado essa pessoa está ajudando a trazer para a companhia. 

É papel dos líderes passar para a equipe o que a empresa espera deles, bem como responsabilizá-los pela entrega. Com isso, cada um vai saber qual é a sua função e como isso afeta no crescimento do negócio. 

  1. Tecnologia certa

A comunicação precisa ser o centro da construção da cultura. A comunicação tradicional precisou se adaptar e hoje, para dar certo, é uma combinação de colaboração pessoal e virtual. 

Ao escolher o modelo híbrido de trabalho, a empresa precisa ser capaz de manter o nível de frequência de comunicação formal e informal, e para fazer isso é necessário ter meios de comunicação que estejam no local e hora certos. 

Como a pandemia mudou a forma da cultura das empresas?

O trabalho remoto proporcionou grandes oportunidades de interação com outras pessoas e, ao mesmo tempo, continuar realizando um bom trabalho. 

A experiência de poder trabalhar e viver em um mundo virtual mostrou que é possível ser mais flexível na maneira como pensamos sobre o trabalho: não é preciso nos reunir todos os dias para sermos produtivos, mas também é possível ver que o trabalho virtual não consegue a substituir a experiência de reunir uma equipe para fazer um brainstorm, por exemplo, e manter uma conexão mais profunda entre as pessoas. 

E com isso,  muitos devem se perguntar como é possível desenvolver e manter a cultura em um local de trabalho híbrido. A resposta pode ser simples ou complicada.

As conversas sobre o futuro do trabalho precisam levar em conta as pessoas, bem como priorizar a saúde e a segurança dos colaboradores, e oferecer local de trabalho seguro e flexível, que promova a produtividade, o engajamento e o bem-estar.

Os líderes têm uma grande oportunidade de desenvolver o modelo híbrido que melhor se adéqua a sua empresa. Porém, as interações entre a gestão e a equipe devem ser essenciais para manter a cultura unificada e que prospere nesse modelo de trabalho. 

Menos hierarquias

As empresas alcançam sucesso quando os seus colaboradores compartilham do senso de identificação e um propósito comum. Esse sentimento pode desaparecer se os funcionários sentirem que não estão sendo tratados da mesma maneira. No trabalho com equipes híbridas é importante que cada membro se sinta representado.

Um estudo realizado pelo We Work mostrou que 80% dos millennials e da geração Z se sentem menos conectados a seus colegas e líderes desde que começaram a trabalhar em casa. 

Esse dado mostra que equipes remotas podem ter dificuldade de se conectar e se envolver da mesma maneira que as equipes presenciais. Para não ter esse problema, os líderes devem ter formas de liderança mais inspiradoras, que compense a falta de encontros e interações presenciais,

Interações informais

As reuniões virtuais podem ser bastante produtivas, mas elas nunca vão substituir os encontros espontâneos e as conversas que ocorrem nos corredores de um escritório enquanto se toma o famoso “cafezinho”. 

Encontros informais podem ser um ponto de partida para relacionamentos profundos e estratégicos, onde as pessoas colaboram, trocam ideias e fortalecem as conexões profissionais e pessoais.

Esse tipo de interação não acontece naturalmente em um ambiente virtual. Por isso, os líderes precisam ter intenção de produzir novas abordagens para criar essas interações conforme as pessoas continuam trabalhando remota e presencialmente.

Alinhe expectativas

Enquanto estamos prosseguindo na transição da forma de trabalho, é possível descobrir o que funciona ou não em uma empresa. 

Diante deste cenário de expectativa, é responsabilidade da liderança encontrar novas possibilidades híbridas, estabelecendo as regras desde o início e comunicando, de forma eficaz, o que se espera que cada um na sua equipe, independentemente do modelo de trabalho escolhido.

Inovação no local de trabalho

Este é o momento ideal para transformar a forma de trabalhar, desafiar o padrão e inovar.

Implementar mudanças que tragam benefícios para toda a organização quando se fala de produtividade, criatividade e bem-estar, podem ser muito bem-vindas. 

As equipes de recursos humanos, por exemplo, já podem contar com softwares que melhoram o recrutamento e seleção de candidatos, como o TAQE

Nessa plataforma, os recrutadores, que podem acessá-la de qualquer lugar, tem acesso a um banco de dados com mais de 730 mil profissionais triados, e podem entrar em contato com o candidato via board de divulgação. Experimente o TAQE

A preservação e o fortalecimento da cultura de uma empresa pode ser um dos maiores desafios do mundo pós-pandemia, mas cabe aos gestores e empresas transformar desafios em grandes oportunidades de crescimento para todos.