fbpx

Como a experiência dos candidatos está afetando sua marca empregadora?

A forma como a empresa conduz o processo de seleção está diretamente relacionada com a formação de opinião que um candidato tem sobre o empregador. A geração dos millenials, que representa três quartos dos profissionais ativos no mercado de trabalho, busca viver experiências, inclusive na hora de procurar um emprego.

Essa mesma geração tornou-se especialista no compartilhamento de opiniões positivas e, principalmente negativas, sobre empresas, produtos, marcas etc. A marca empregadora só é fortalecida quando a empresa consegue encantar os candidatos através de uma experiência de contratação. Quando isso não acontece, a empresa irá sofrer as consequências.

De acordo com o Human Capital Institute, 72% dos candidatos a emprego compartilham na internet as experiências negativas que tiveram em processos de seleção e 55% dizem evitar se candidatar a vagas em empresas que possuem críticas negativas na rede.

Saiba da importância de cuidar da marca empregadora e conheça quais são os pontos relevantes na hora de oferecer uma experiência que agrade os candidatos.

O que é marca empregadora e sua importância?

Marca empregadora – employer branding –, é o processo de promoção da imagem corporativa de uma empresa. Ou seja, é o marketing institucional que foca em despertar o desejo dos profissionais em trabalharem para a empresa.

A construção de uma reputação positiva envolve a realização de várias ações para que a sociedade enxergue a empresa como um ambiente de trabalho que foque no desenvolvimento profissional daqueles que lá trabalham. O fortalecimento da marca empregadora é fundamental principalmente para a área de recrutamento e seleção, pois é uma ferramenta poderosa na hora de captar e reter talentos e profissionais de alta performance.

Como a experiência dos seus processos seletivos pode afetar sua marca empregadora

Sabe aquele ditado “a primeira impressão é a que fica?”, ele é muito verdadeiro quando falamos da relação entre a experiência de processo seletivo e o fortalecimento da marca empregadora. É claro, a nossa opinião sobre uma empresa pode mudar, especialmente depois que começamos a trabalhar para ela. Entretanto, os inúmeros candidatos que participam de um processo de seleção que entrega uma experiência negativa, e que no final não são contratados, ficam com essa “primeira” impressão sobre a empresa.

Os principais pontos que tornam a experiência de um processo de seleção negativa, na visão dos candidatos são:

  • Processos burocráticos na hora da candidatura;
  • Inexistência de processos definidos para compreender todas as etapas de seleção;
  • Tempo de entrevista ser mais longo do que o informado;
  • Falta de resposta por parte da empresa.

Cada ponto de contato que a empresa tem com os candidatos entrega uma experiência. É preciso focar em um processo de recrutamento e seleção onde o candidato seja o centro de todas as etapas, oferecendo uma experiência que entregue organização, comprometimento, feedback e ferramentas voltadas à inovação e tecnologia.

Como mediar a experiência dos candidatos

Um dos indicadores mais eficazes para medir a satisfação dos candidatos em relação ao processo de seleção da sua empresa é o Net Promoter Score (NPS). Essa é uma conhecida métrica desenvolvida para medir a satisfação ou a lealdade do público perante a uma empresa ou marca.

O NPS tem ótimo retorno de engajamento, pois envolve apenas uma pergunta: “Qual é a probabilidade de recomendar esta empresa a um amigo ou colega?” Segundo a Nielsen, 83% das pessoas confiam mais em recomendações de familiares e de amigos do que em mensagens publicitárias. Utilizando a ferramenta Typeform é possível disparar a pesquisa a todos os candidatos que participaram do processo seletivo, analisar as respostas e calcular o NPS referente a experiência do candidato na hora de participar de uma seleção para a empresa.

O Banco Santander, depois que teve o seu processo seletivo apoiado pelo Taqe e totalmente voltado à experiência positiva dos candidatos, alcançou um NPS de 84%, um índice que se enquadra como zona excelência. O processo seletivo do Santander utilizou a gamificação como principal ferramenta de coleta de dados durante a candidatura às vagas. Quer utilizar gamificação no seu processo de recrutamento? Agende uma demonstração.

Como melhorar a experiência dos candidatos

A melhor solução para melhorar a experiência dos candidatos é disponibilizar um processo seletivo que coloque o candidato como foco em todas as etapas de candidatura. A metodologia de gamificação é responsável por usar elementos de jogos em um contexto inesperado e não relacionado a eles, como por exemplo, no processo de candidatura a uma vaga de emprego.

Utilizando jogos interativos durante o processo de seleção permite que enquanto os candidatos estejam engajados jogando e respondendo questões, informações relevantes de perfil, comportamento e conhecimentos sejam coletadas. Ou seja, enquanto o candidato se “diverte” participando dos jogos de candidatura, a tecnologia entre em ação através da inteligência de dados para que se consiga encontrar os candidatos que respeitam os critérios de seleção e apresentam maior aderência às vagas.

Além disso, há vários outros benefícios, tanto para as empresas quanto para os candidatos, quando se usa a gamificação aplicada em processos de R&S:

  • Processos dinâmicos: através da digitalização de processos é possível diminuir a burocracia durante a seleção. Desde a abertura até o preenchimento da vaga, tudo é feito de forma dinâmica, organizada e digital.
  • Capacitação dos candidatos: além da coleta de dados, os jogos interativos oferecem aos candidatos conteúdos relevantes sobre o mercado de trabalho e sobre a empresa.
  • Engajamento: os jogos engajam os candidatos a passarem para as próximas fases de candidatura e finalizarem as tarefas. Eles se vêem motivados e proporcionam altas taxas de engajamento nos processos.
  • Fortalecimento da marca empregadora: os jogos incluem momentos de diversão e aprendizados. A experiência positiva já no processo de seleção vai conquistando o fortalecimento da marca empregadora perante aos candidatos. Além disso, todo o processo acontece de forma organizada e o candidato está sempre informado de forma automática sobre o andamento da candidatura.
  • Feedback: como o processo de seleção utilizando a gamificação é feito de forma digital, é possível fornecer feedback e oportunidades de melhoria aos candidatos de forma prática e assertiva através da própria plataforma de candidatura. Quando a sua empresa agendar uma entrevista presencial, terá a certeza de que está entrevistando os candidatos que têm os maiores níveis de aderência ao perfil da vaga.

Além de fortalecer a marca empregadora através de uma experiência positiva dos candidatos, a plataforma do Taqe, que utiliza gamificação nos processos de seleção, também reduz custos, encurta o tempo médio de preenchimento de vaga e aumenta a qualidade da contratação, sempre levando em consideração todos os critérios de seleção e fit cultural. O Taqe busca um maior envolvimento e engajamento dos candidatos além de um menor desgaste durante as etapas de seleção.

Agende uma demonstração gratuita e saiba como o Taqe utiliza a gamificação para entregar todos esses benefícios para a sua empresa e para os candidatos que querem trabalhar nela.